Banheiros com pisos de ardósia

A ardósia é uma pedra natural, muito popular em alguns estados brasileiros, como Minas Gerais – durabilidade e preço são aspectos que torna a pedra bastante desejável. As pedras de ardósia são geralmente mais escuras, puxando para tons de cinza, verde e ferrugem – mais raramente são encontradas em tons avermelhados.

São extremamente duráveis e podem ter acabamento natural – mais fosco – ou polido, mais incomum mas também bastante bonito. Normalmente são mantidas com tratamento de ceras, que com o tempo pode necessitar de raspagem.

No entanto, não a subestimem: além da durabilidade já comentada, a ardósia é bastante impermeável e resistente a umidade. Porém, deve-se tomar cuidado dobrado nas áreas molhadas: por ser um pedra bastante lisa se torna muito escorregadio.

Veja como a ardósia pode funcionar bem revestindo seu piso:

Ardósias também pode vir em tons de ferrugem
Ardósias também pode vir em tons de ferrugem
Banheiro com piso, revestimento e bancada em ardósia
Banheiro com piso, revestimento e bancada em ardósia
Peças com tamanhos diferentes também valorizam a ardósia
Peças com tamanhos diferentes também valorizam a ardósia
Piso de ardósia com brilho
Piso de ardósia com brilho

Cerâmica de terracota: visual rústico e bonito no banheiro

Um dos materiais mais antigos que se usa na construção, a terracota é um material derivado da argila, cozida no forno. Em cor natural terrosa, um vermelho alaranjado, ela é utilizada para quem quer um visual mais rústicos para seus revestimentos.

Produzida a partir da queima da argila em cerca de 900 graus, em seu estado mais “rústico” não é recomendada para o uso em banheiros, isso porque ela tem pouca resistência mecânica e é muito porosa. É possível, no entanto, fazer um acabamento vitrificado que a torna impermeável. Apesar disso, não se deve confundir o aspecto com o tratamento vítreo: as cerâmicas tratadas podem apresentar aspecto brilhante ou fosco.

Por ser um produto ainda bastante artesanal as peças  podem apresentar diferença de cor e tamanho. Essa diferença é uma das responsáveis pelo aspecto rústico que deixa esse tipo de cerâmica tão charmoso quando utilizado.

Veja algumas bonitas opções de banheiros com revestimentos e pisos feitos com cerâmica terracota:

Com acabamento mais rústico, cerâmica terracota deixa clima provençal
Com acabamento mais rústico, cerâmica terracota deixa clima provençal
Mosaico de cerâmica terracota usa as diferenças para criar efeito no chão
Mosaico de cerâmica terracota usa as diferenças para criar efeito no chão
Piso do banheiro de cerâmica terracota
Piso do banheiro de cerâmica terracota
Revestimentos nas paredes também podem usar cerâmicas terracota
Revestimentos nas paredes também podem usar cerâmicas terracota

 

Porcelanato que imita mármore ou granito

A pedras naturais, como mármore e granito são materiais nobre e agregam alto valor aos imóveis. Mas além do preço, compatível com a sua sofisticação, são mais suscetíveis à manchas e com o tempo, corre o risco de ficar poroso (principalmente o mármore). Com o surgimento dos porcelanatos que imitam mármore e porcelanatos que imitam granito, é possível ter uma opção de manutenção mais simples no piso da sua casa.

Instalados, as diferenças não são visíveis – já no preço, podem ser significativas. Embora o preço do mármore e outras pedras varie muito no Brasil devido à região, os porcelanatos mais nobres, em medidas a partir de 100×100 custam a partir de 160 reais o metro quadrado. Dependendo do mármore ou granito, a mesma peça sai em torno de 400 a 1200 reais.

O efeito fica muito bonito e com as juntas secas as diferenças ficam praticamente imperceptíveis. As opções vão desde às versões de pedra polida aos acabamentos rústico, com textura e variações de cores e manchas.

Veja as fotos dos porcelanatos imitando mármore e granito:

Porcelanato imitando mármore travestino polido
Porcelanato imitando mármore travestino polido
Porcelanato que imita granito
Porcelanato que imita granito

Porcelanato que imita madeira

Os porcelanatos viraram a nova sensação da decoração. Depois da chegada da impressão HD, os porcelanatos podem replicar a textura e o visual da madeira e outros materiais. A maior vantagem do material sobre a madeira natural: fácil instalação, fácil manutenção e altíssima resistência à água.

Os porcelanatos que imitam madeira podem ter várias finalidades, sendo instalados em cozinhas, banheiros, paredes e até mesmo em áreas internas como quartos. Alguns, inclusive, são atérmicos e não proporcional o “toque frio” das peças cerâmicas.

Algumas marcas oferecem uma ampla gama de porcelanatos imitando madeira, desde os que parecem madeira de demolição, até aqueles que mais se parecem com tacos instalados. Outros podem ser utilizados no lugar de decks para piscina, tendo inclusive acabamentos antiderrapantes.

Os preços, que no lançamento do produto eram bastante altos – comparando com o preço da madeira maçica instalada, estão mais democráticos e variam entre 60 a 200 reais o metro quadrado.

Veja algumas aplicações:

Porcelanato que imita madeira no deck da piscina
Porcelanato que imita madeira no deck da piscina
Parece piso de madeira mas é porcelanato
Parece piso de madeira mas é porcelanato
Porcelanato estilo madeira no banheiro
Porcelanato estilo madeira no banheiro
Porcelanato imitando madeira de demolição revestindo a parede
Porcelanato imitando madeira de demolição revestindo a parede
Porcelanato reproduz os tons e texturas da madeira de demolição
Porcelanato reproduz os tons e texturas da madeira de demolição

Qual o melhor revestimento pra banheiros?

Na hora de escolher o estilo de seu banheiro, a escolha dos materiais dos revestimento vão ter muita influência. Escolhidos de acordo com o estilo da decoração, o tipo de uso do banheiro e o gosto pessoal do morador, são diversas as opções para revestir.

De pisos comuns, passando por porcelanatos polidos aos modelos que simulam madeira e cimento às pastilhas diferenciadas, cortiças, pedras naturais ou sintéticas, resinas, espelhos e mais o que a criatividade mandar. Banheiros passaram a ser donos de personalidade própria e viraram espaço importante na decoração.

Vamos falar um pouco sobre cada opção:

Azulejos: Os mais tradicionais revestimentos para banheiros, os azulejos vem em vários tipos e tamanhos e, se a parede estiver pronta para recebê-los, normalmente são os revestimentos mais econômicos. Podem ser combinados de tantas maneiras que o fato de ser econômico não significa que não podem ser graciosos no banheiro.

Banheiros com azulejos podem ficar muito charmosos
Banheiros com azulejos podem ficar muito charmosos

Mármores e granitos: polidos ou rústicos, as diversas pedras de mármore ou granito podem ser utilizados em banheiros, idealmente em revestimentos. Com o tempo, o mármore pode se tornar poroso e por isso não devem ser utilizados em áreas que recebem incidência direta de água – como por exemplo dentro do boxe. Funcionam bem para quem gosta de um estilo mais clássico, mas hoje em dia pode ser substituído com louvor por peças bastante nobres de porcelanatos.

Banheiro revestido com pedras rústicos
Banheiro revestido com pedras rústicos

Pedras sintéticas: Opções como marmoglass, nanoglass, silestone ou limestone são indiscutivelmente sofisticadas. A escolha das cores e dos padrões pode ser selecionada na compra, criando diversos efeitos. São revestimentos mais caros mas extremamente duráveis.

Silestone nos revestimentos modernos
Silestone nos revestimentos modernos
Pedras sintéticas dão ar sofisticado
Pedras sintéticas dão ar sofisticado

Resina: A resina permite criar efeitos diferentes. Ao mesmo tempo que pode ser utilizada para criar uma sensação neutra no banheiro, quando aplicada em uma cor sólida e uniforme nos pisos e paredes, ela pode ser o centro das atenções quando em cores chamativas ou com efeitos decorativos. A maior vantagem é seu efeito autonivelante e a possibilidade de uso em diversas superfícies, facilitando a instalação.

Banheiro fica neutro com revestimento de resina
Banheiro fica neutro com revestimento de resina

Granilite: A granilite é uma mistura de resina e resíduos de granito. Possuem efeito interessante, não tem emendas e são extremamente duráveis. Podem ser polidos ou ásperos (os chamados fulget) e com diversas opções de cor.

Revestimento de granilite para o banheiro
Revestimento de granilite para o banheiro

Porcelanato: O porcelanato ganhou mercado e hoje é hegemônico em banheiros. Utilizado no piso ou na parede, é o material com mais opções no mercado. Desde os que imitam outros revestimentos, como os ladrilhos hidráulicos, madeiras de demolição, cimento queimado, mármores até aqueles de aspecto mais clássico, como os de cor sólida e polida. Retificados, criam unidade no visual do revestimento.

Revestimento de granilite para o banheiro
Revestimento de granilite para o banheiro

Cimento queimado: Cimento queimado tem ganhado espaço nos banheiros modernos. O ar rústico ou industrial vai de como ele será combinado com os outros elementos. Se bem feito, é econômico e duradouro. O único cuidado é a manutenção e a instalação que deve ser feita de modo a evitar trincas.

Banheiro revestido com cimento queimado
Banheiro revestido com cimento queimado

Pastilhas: De vidro ou cerâmica, as pastilhas são outro elemento recorrente. Também possuem vários preços e opções, e criam ambientes sofisticados ou divertidos, de acordo com o tipo de peça escolhida. Em termos de cuidado e instalação, são bastante similares aos azulejos e porcelanatos, sendo, no entanto, um pouco mais exigentes em relação aos espaços de rejunte que aparecem muito mais.

Banheiro com revestimento de pastilhas
Banheiro com revestimento de pastilhas

Papel de parede: Já existem no mercado os chamados papéis de paredes impermeáveis, prontos para revestir banheiros e áreas com muita umidade. São mais caros que os papéis convencionais, mas são resistentes à ação da água. Não são recomendados porém dentro das áreas do boxe onde recebem água de maneira muito incisiva.

Banheiro revestido com papel de parede
Banheiro revestido com papel de parede

 

Posso utilizar pisos e porcelanatos no lugar de azulejos?

Muita gente tem dúvida se pode utilizar pisos no lugar de azulejos, revestindo as paredes com o mesmo material que tem no chão. E se estamos falando de pisos feitos de cerâmicas ou porcelanatos, a resposta é sim. O uso das argamassas e rejuntes é feito com o mesmo material que se passa no piso.

Repare que pisos e paredes dividem o mesmo revestimento
Repare que pisos e paredes dividem o mesmo revestimento

O piso (ou porcelanato) pode ser instalado nas paredes, da mesma maneira como o azulejo seria. No aspecto visual, oferece continuidade e pode funcionar muitíssimo bem para banheiros menores, criando menos linhas e informação e dando assim maior sensação de amplitude.

Por ser mais resistente que os azulejos, o único “problema” é que provavelmente você estará pagando por uma qualidade excessiva – as paredes não sofrem o mesmo impacto que o chão, por isso os azulejos costumam ser menos resistentes. Por esse motivo, você pode utilizar pisos revestindo a parede, mas o contrário não – em pouco tempo o azulejo aplicado no chão apresentariam rachaduras e poderiam inclusive causar infiltrações.

Exemplo de piso sendo usado como revestimento no banheiro
Exemplo de piso sendo usado como revestimento no banheiro

Pra que serve o rejunte ou as juntas de dilatação

Rejunte de azulejos e pisos
Rejunte de azulejos e pisos

Praticamente toda instalação de pisos e revestimentos cerâmicos exige o uso de juntas de dilatação, sob as quais o rejunte precisa ser aplicado. Mas afinal, para que servem essa juntas? E qual a função do rejunte?

Em primeiro lugar, precisamos entender a função das juntas: sua função primordial é evitar rachaduras nas peças, absorvendo as dilatações causadas pela variação de temperatura. Nota-se que o espaçamento entre as peças é variável, cada fabricante e material tem seu espaçamento recomendado.

Enquanto o rejunte serve para preencher essas juntas e evitar que elas se descolem da argamassa, além de garantir a higiene. Associadas, a dupla garante além dos atributos já citados uma estética melhor, o preenchimento adequado da argamassa e uma eventual facilidade para remover e trocar as peças individualmente.

Pisos sem rejunte

Quer colocar um piso na sua casa mas quer evitar o rejunte? Existem algumas opções possíveis para sua obra. A escolha final vai depender do efeito esperado, preço e tipo de ambiente que você vai usar.

Conheça as opções possíveis:

1. Juntas secas: A técnica permite a instalação de granitos, porcelanatos e outras pedras que vem retificadas de fábrica, sem a necessidade de se usar rejunte. As peças são assentadas quase sem espaço, uma vez que esses materiais dispensam as juntas de dilatação.

2. Cimento queimado: A depender da área, o cimento queimado pode ser utilizado sem a necessidade de juntas. Porém, deve-se procurar mão de obra altamente especializada, pois a condição do contrapiso e o trabalho realizado pode ficar com rachaduras em caso de dilatação.

3. Resina: As resinas além de alto nivelantes dão sensação de amplitude pois permitem a aplicação homogênea da cor escolhida, criando um efeito contínuo bastante bonito.

4. Granilite: A granilite é uma combinação de resina e granito moído, altamente resistente, deve ser instalado por mão de obra especializada e pode ser aplicado na versão polida e fulget, mais áspera e indicada para áreas molhadas por ser antiderrapante;

Pisos sem rejunte ampliam o ambiente e dão efeito sofisticado
Pisos sem rejunte ampliam o ambiente e dão efeito sofisticado

O que é junta seca?

A junta seca é uma técnica para instalar ou assentar seu piso sem rejuntes. É feito utilizando o mínimo de espaçamento possível entre as peças, e com porcelanatos, granitos, pedras naturais ou sintéticos com o corte reto – que permite que o piso seja assentado sem necessidade de rejuntes.

Os rejuntes, como já sabemos, serve para proteger o vão entre as peças. Quando colocadas bem próximas, sua função é minimizada. Para isso ser obtido a peça tem que ser de alta qualidade, ou seja suas dimensões devem ser constantes.

Uma recente tendência, é preciso saber quando vale a pena usar esse tipo de aplicação. Geralmente, as juntas secas só são recomendadas em caso dos materiais mais nobres, recomendados acima, que permitem o corte preciso e sofrem menor dilatação, sendo pouco reativas a mudanças de temperatura – dispensando o uso de juntas mais largas.

Juntas secas: dispensam rejunte e tornam acabamento mais nobre
Juntas secas: dispensam rejunte e tornam acabamento mais nobre

As juntas secas já vem recortadas de fábrica, padronizadas. Seus cortes costumam ser bastante precisos, principalmente quando comparado as cerâmicas normais, dispensando a necessidade de harmonização da peça. Devido ao cuidado na instalação, entretanto, deve-se recorrer ao apoio de um profissional para executar o assentamento das peças.

É importante evitar esse tipo de uso em áreas molhadas – a infiltração pode acabar danificando a cola da argamassa e gerando infiltração se a superfície de baixo não estiver impermeabilizada.

 

Para que servem cantoneiras nos azulejos

Um bom acabamento é fundamental para todo banheiro onde os problemas de acabamento costumam ser mais aparentes. Um cuidado especial quando há revestimentos é o uso das cantoneiras.

Nas paredes – cobertas cobertas com azulejos (ou não) – essas peças de metal em formato de “L” são utilizadas nos cantos. Daí o nome, cantoneiras. Estes ângulos são utilizados para evitar o desgaste da parede ao longo do tempo, e para ocultar as emendas entre as peças.

Os perfis de alumínio devem ser escolhidos na mesma cor dos azulejos, de modo a ficarem imperceptíveis. Além do modelo tradicional, também é possível encontrar o perfil em “Y”, chanfrado ou arredondado, que é incorporada nos blocos, e guia a aplicação da massa.

Cantoneiras de azulejo para acabamento
Cantoneiras de azulejo para acabamento